quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020

MEU OUTRO EU

quinta feira 13 de fevereiro 2020

MEU OUTRO EU

terça-feira, 5 de outubro de 2010

prendi, que 'amores eternos' podem acabar em uma noite. Que grandes amigos podem se tornar grandes inimigos. Que o amor, sozinho, não tem a força que imaginei. Que posso dizer que amei e no fundo descobrir que nem gostei. Que ouvir aos outros pode ser o melhor remédio ou o pior veneno . Que a gente nunca conhece uma pessoa de verdade, afinal gastamos uma vida inteira para conhecer a nós mesmos. Que confiança não é questão de luxo, e sim de sobrevivência. Que os poucos amigos que te apoiam na queda, são muito mais fortes do que os muitos que te empurram. Que o 'nunca mais' nunca se cumpre . Que o 'para sempre' sempre acaba. Que ainda não inventaram nada melhor do que colo de mãe desde que o mundo é mundo. Que vou sempre me surpreender, seja com os outros ou comigo. Que vou cair e levantar milhões de vezes .. e ainda não vou ter aprendido tudo !

terça-feira, 30 de outubro de 2018

“Das mãos de um grande homem nascem grandes poesias" postado por Paulo Vasconcellos em outubro 29, 2018


**Das mãos de uma grande poetisa, nascem prestimosas palavras que fortalecem e incentivam. Obrigado poetamiga Conceição Maciel, por tanta consideração ao meu trabalho. Abaixo, publico a integra do post feito por ela em sua página no Facebook...

“Também nascem grandes oportunidades. Grata à esse grande poeta que tanto contribui com a cultura capanemense. O lançamento do "Palavras do Poeta" foi um sucesso, não faltaram alegrias e emoções furtivas disfarçadas nos aplausos e nos risos entre uma apresentação e outra. Mais um grande momento em que a ACLA esteve presente como convidada especial declamando as poesias desse poeta que nos surpreende a cada novo dia. Gratidão e parabéns Paulo Vasconcelos”.



Edição: Maikon Douglas
Texto e Imagens: Conceição Maciel - Poetisa e Escritora Capanemense 

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Literatura de Cordel é reconhecida como Patrimônio Cultural do Brasil postado por Paulo Vasconcellos em setembro 20, 2018


O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) reconheceu nesta quarta-feria, 19,  a literatura de cordel como Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro. A decisão foi tomada por unanimidade pelo Conselho Consultivo, que se reúne no Forte de Copacabana, no Rio de Janeiro. 
"Poetas, declamadores, editores, ilustradores, desenhistas, artistas plásticos, xilogravadores, e folheteiros, como são conhecidos os vendedores de livros, já podem comemorar, pois agora a Literatura de Cordel é Patrimônio Cultural Imaterial Brasileiro", anuncia o Iphan. 
A reunião contou com a presença do Ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, da presidente do Iphan, Kátia Bogéa e do presidente da Academia Brasileira de Literatura de Cordel, Gonçalo Ferreira.  
O gênero literário é ofício e meio de sobrevivência para inúmeros cidadãos brasileiros. Segundo o instituto, apesar de ter começado no Norte e no Nordeste do país, o cordel hoje é disseminado por todo o Brasil, principalmente por causa do processo de migração de populações. 

História

O cordel foi inserido na cultura brasileira ao final do século 19. O gênero resultou da conexão entre as tradições orais e escritas presentes na formação social brasileira e carrega vínculos com as culturas africana, indígena e europeia e árabe. Tem ligação com as narrativas orais, como contos e histórias; à poesia cantada e declamada; e à adaptação para a poesia dos romances em prosa trazidos pelos colonizadores portugueses. 
Originalmente, a expressão literatura de cordel não se refere em um sentido estrito a um gênero literário específico, mas ao modo como os livros eram expostos ao público, pendurados em barbantes, em uma especie de varal. 
De acordo com o Iphan, os poetas brasileiros no século 19 conectaram todas essas influências e difundiram um modo particular de fazer poesia que se transformou numa das formas de expressão mais importantes do Brasil.


Fonte: Agencia Brasil/EBC (Texto e Foto)

quinta-feira, 30 de agosto de 2018

Cédulas ao vento postado por Paulo Vasconcellos em agosto 30, 2018



Crônica da Semana – Por Paulo Vasconcellos

Início da tarde do dia 29 de setembro de 2018 em pleno verão amazônico. A estrada com o seu movimento, fluía na sua normalidade com o vai e vem de veículos. O vento soprava e o sol mostrava o seu brilho, referendando o aspecto bucólico de uma Região ladeada por balneários, considerando as praias de Salinas e Ajuruteua, principais pontos turísticos.

Nenhum morador das localidades adjacentes ao município de Bonito, às margens da BR-316, imaginaria que o inusitado fosse acontecer. Ao aproximar-se de um redutor de velocidade, o motorista e a guarnição de um carro transportador de valores, foram surpreendidos e atacados por infratores que explodiram o veículo usando material de ação rápida, fazendo com que o dinheiro que havia no interior do Carro-Forte voasse literalmente, sendo esparramado pelo chão, servindo de "decoração" para o asfalto e também às tantas espécies de árvores existentes no trecho. O barulho assustou os moradores que correram para o local, talvez até pensando que se tratasse de uma grande colisão entre veículos, mas quando se depararam com a cena do carro em chamas e os infratores abrindo fuga apossados dos malotes contendo dinheiro, o rescaldo do impacto resultou em muitas cédulas espalhadas, motivando reações nos curiosos que começaram a saquear o resto que sobrou. 



Logo a notícia correu longe e mais curiosos se dirigiram ao local do sinistro para testarem a sorte, catando alguns pacotes ou mesmo uma nota para a amenização de suas finanças. O "garimpo" estava "minando grana", proporcionando aos "garimpeiros" de plantão, sorrisos de orelha a orelha. Quem também agiu muito rápido foi o grupo de "cinegrafistas" que acionou câmeras e captou imagens que viralizaram nas redes sociais, abastecendo sobremaneira os noticiários das emissoras de televisão, constituindo-se em manchetes de alguns telejornais de âmbito Nacional.


Alguém pode até considerar o fato: ação cinematográfica, perigosa ou cômica (talvez), mas há a questão séria da coisa que é o crime, praticado não somente pelos assaltantes, assim como, por aquelas pessoas que se apossaram indevidamente do dinheiro.

Sem qualquer menção de apologia ao crime, uma pergunta que não quer calar: Quem resistiria ver um monte de cédulas de dinheiro livres à mercê do vento à espera de serem recolhidas? Fica difícil mensurar o grau de equilíbrio de uma pessoa que se depare com uma situação daquelas e não agir como muitos agiram. Entretanto, reservadas as proporções a rigor da lei, cabe às autoridades constituídas, lavrarem os atos infracionais e serem dadas as punições a quem couber.

Os que usufruíram do rescaldo do assalto, talvez estejam contabilizando os "lucros", todavia, não se sabe como estão as suas consciências no que diz respeito ao estado de satisfação. Os prejuízos foram contabilizados, o dinheiro físico passou para outras mãos, o vento continuará soprando, o brilho do sol de verão sempre presente e a notícia ganhando manchetes mundo a fora! (PV)











Edição: Maikon douglas
Digitação: Dalva Vasconcellos
Texto: Paulo Vasconcellos
Imagens: divulgação/G1-Pará

quinta-feira, 9 de agosto de 2018

A Voz do Silêncio


Pior do que a voz que cala,
é um silêncio que fala.

Simples, rápido! E quanta força!

Imediatamente me veio à cabeça situações
em que o silêncio me disse verdades terríveis,
pois você sabe, o silêncio não é dado a amenidades.
Um telefone mudo. Um e-mail que não chega.
Um encontro onde nenhum dos dois abre a boca.

Silêncios que falam sobre desinteresse,
esquecimento, recusas.

Quantas coisas são ditas na quietude,
depois de uma discussão.
O perdão não vem, nem um beijo,
nem uma gargalhada
para acabar com o clima de tensão.

Só ele permanece imutável,
o silêncio, a ante-sala do fim.

É mil vezes preferível uma voz que diga coisas
que a gente não quer ouvir,
pois ao menos as palavras que são ditas
indicam uma tentativa de entendimento.

Cordas vocais em funcionamento
articulam argumentos,
expõem suas queixas, jogam limpo.
Já o silêncio arquiteta planos
que não são compartilhados.
Quando nada é dito, nada fica combinado.

Quantas vezes, numa discussão histérica,
ouvimos um dos dois gritar:
Diz alguma coisa, mas não fica
aí parado me olhando!

É o silêncio de um, mandando más notícias
para o desespero do outro.

É claro que há muitas situações
em que o silêncio é bem-vindo.
Para um cara que trabalha
com uma britadeira na rua,
o silêncio é um bálsamo.
Para a professora de uma creche,
o silêncio é um presente.
Para os seguranças de um show de rock,
o silêncio é um sonho.

Mesmo no amor,
quando a relação é sólida e madura,
o silêncio a dois não incomoda,
pois é o silêncio da paz.

O único silêncio que perturba,
é aquele que fala.

E fala alto.

É quando ninguém bate à nossa porta,
não há emails na caixa de entrada
não há recados na secretária eletrônica
e mesmo assim, você entende a mensagem.


(Martha Medeiros)

terça-feira, 7 de agosto de 2018

forte é quem obriga suas ações dominarem seu pensamentos


Forte não é aquele que nunca vai cair, é aquele que sempre vai conseguir se levantar.

Até os mais fortes fracassam, e os mais jovens ficam cansados. Mas o importante é nunca desistir. Essa é a essência de todas as pessoas verdadeiramente fortes.

Ao longo da vida, muitas pessoas vão tentar te desencorajar e esgotar a tua força. Não perca tempo com elas, e procure a companhia daquelas que te dão valor por aquilo que você é e não pelas coisas que você tem. Essas pessoas serão a tua força.

sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Mensagens de Paz

                         




Paz não é apenas a ausência de guerra entre os países. 
Paz é garantir que todas as pessoas tenham moradia, 
comida, roupa, educação, saúde, amor compreensão, 
ou seja, boa qualidade de vida. 

Paz é cuidar do ambiente em que vivemos, garantir 
a boa qualidade de água, o saneamento básico, 
a despoluição do ar, o bom aproveitamento da terra. 

Paz é buscar a serenidade dentro da gente para 
viver com alegria os bons momentos, ter força e 
boas idéias para enfrentar os problemas e 
resolver as dificuldades. 

Isso tudo sem precisar fugir. 
Acima de tudo, PAZ é criar um clima 
de harmonia e bem-estar na família 
e na comunidade, lembrando-se sempre 
de que onde há amor, há paz. 
Onde há paz, há Deus e onde há Deus, nada falta.

MEU OUTRO EU

quinta feira 13 de fevereiro 2020 MEU OUTRO EU Aqui é meu cantinho. Onde escrevo pensamentos, fragmentos do meu livro e tr...